quinta-feira, 19 de abril de 2018

Pélardon AOC


Pélardon AOC



Esta AOC é para pequenos queijos de cabra produzido na região Cévennes, próximo aos Alpes, Langdoc-Roussilon. Os outros são Pélardon d’Anduze e Pélardon d’Altier, são queijos com textura cremosa e densa, sabor rico de leite e nozes, casca fina e enrugada, com o desenvolvimento de um bolor natural ao maturar.

Sua maturação é de 2 a 3 semanas.

Muito bom quando ligeiramente assado ou grelhado.

Até mais...


quarta-feira, 18 de abril de 2018

Pérail


Pérail


É um queijo macio feito com leite de ovelha originário da região de Aveyron , na França . Os queijos têm entre 10 e 12 cm de diâmetro e devem ter uma casca enrugada de cor marfim composta principalmente de geotrichum candida . O queijo é produzido pelo método de fermentação láctica . Tipicamente, os queijos são vendidos entre as 2 e as 8 semanas de idade, sendo que os queijos mais antigos exibem um sabor distintamente.
Sua existência já tem alguns séculos, e no inicio este queijo era produzido para evitar o desperdício, consumindo pequenas quantidades de leite que não eram suficientes para a produção do Roquefort, hoje este queijo é considerado uma especialidade.
Com sabor menos acentuado que a maioria dos queijos de ovelha, talvez pelo curto período de maturação, com massa suave com um sabor delicado de nozes.

Até mais.....

terça-feira, 17 de abril de 2018

Saint-Pancrace


Saint-Pancrace



As cabras que fornecem o leite para a produção deste queijo pastam nas encostas de uma montanha chamada Saint- Pancrace, na região do  Auvérnia-Ródano-Alpes.

A massa é firme, uniforme e derrete na boca,  o mofo azul começa a aparecer na casca assim que ela começa a secar. O sabor e delicadamente doce, suave.

Produzido com leite cru, tem uma maturação de duas a três semanas, a peça pesa de 200 a 220 g, com 11 cm de diâmetro e 2 cm de altura, massa mole não cozida e não prensada.

Até mais....

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Pithiviers Au Foin


Pithiviers Au Foin




Produzido na região de Bondaroy, perto de Pithiviers, no centro do Vale do Loire, é também chamado de Bonderoy  Au Foin (Feno) . No inicio era produzido no verão, quando havia leite em excesso e armazenado no feno até o outono ou inverno. Durante a colheita das uvas, quando se contratava muita gente, ele era servido depois das refeições como lanche. Hoje, ele é fabricado o ano todo, mas ainda vem coberto de fiapos de capim seco, ervas e flores do campo.
Este queijo artesanal é produzido com leite de vaca, e sua maturação é de 4 a 6 semanas.
Este queijo de classificação branco mole, com mofo branco , não cozida e não prensada, pode ser harmonizado com vinhos tintos leves e frutados.

Até mais.....


terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Berrichon

Berrichon



Desde as iavasões árabes no século VII, Berry se especializou na produção de caprinos e na produção de queijo de cabra.
Produzido na região de Sancerre desde o século XVI, este queijo de cabra também é conhecido por Sancerrois, irmão mais velho do Crottin de Chavignol.
Ao maturar, a casca fica enrugada e com bolores azuis e cinzentos. A mudança também acontece na textura que passa de granulosa e firme para compacta e densa, tem um leve aroma caprino e um acentuado sabor picante.



Maturação: 3/5 semanas
Peso e Formato: 100g /redondo
Leite: cabra
Classificação: Fresco curado


 VINHOS ASSOCIADOS

Chablis / Chinon / Sancerre blanc

Até mais.....


terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Saint-Marcellin

Saint-Marcellin




Um queijo claro, cremoso e que é produzido há séculos na região de Dauphine . Feito nas casas e granjas da região originalmente com leite de cabra, hoje é feito quase que na totalidade com leite de vaca, é um IGP desde 2013.

A textura, o sabor e a aparência mudam dependendo de como o queijo é curado, mas os melhores tem tom alaranjado e massa mole. Pode ser cremoso, quase liquido ou firme, com um sutil frescor o limão e aroma de nozes.

Região: Ródano-Alpes
Maturação: 2/6 semanas
Peso e Formato: 85 g/redondo
Leite: Vaca ou cabra
Classificação: Fresco curado

Até mais......

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Na outra margem do rio

Parmigiano-Reggiano 






Este queijo faz parte da história geológica, cultural e da culinária italiana. Muito influenciado por fatores como solo, pastagens e as vacas, sua receita teve pouca mudança desde o século XII.
Tornou-se PDO em 1955 e desde então o Consórcio Del Formaggio Parmigiano-Reggiano protegeu o nome “Parmigiano-Reggiano e Parmesan”, e especificou que ele só poderia ser  produzido nas regiões de Módena, Parma, Bolonha, Reggio Emilia e na região de Emilia-Romangna e Mântua na Lombardia. Determinou também que o leite utilizado para a produção, devia ser de vacas alimentadas apenas com pasto fresco, feno ou alfafa e não com silagem.  Por isso os queijos mudam conforme a estação.
O queijo deve ser feito com leite desnatado, o que reduz seu teor de gordura.

Região: Emilia-Romagna e Lombardia
Maturação: 18/36 meses
Formato/Peso: Tambor/38 Kg
Leite: Vaca
Classificação: Duro


Em novembro em Londres, o Parmigiano recebeu 38 medalhas, sendo 3 super gold e 11 em ouro,  no World Cheese Awards, considerado o Oscar do queijo.
O Parmigiano-Reggiano com 36 meses de maturação, pode conter cristais de Tirosina ( cristal de proteína que traz a sensação de felicidade) do tamanho de um grão de arroz, vamos ser feliz e comer queijo.

Até mais.....